Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros para adiar o fim do mundo

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Livros para adiar o fim do mundo

17
Set20

#29/2020 - Milkman, Anna Burns

livrosparaadiarofimdomundo

Wook.pt - Milkman

Editora: Porto Editora

384 páginas.

Comprado em dezembro, um dia de inverno ameno, na Bertrand do Chiado, num tempo em éramos muito felizes e não sabíamos. Queria-o muito e, no entanto, esteve longos meses em estágio cá em casa. Havia sempre outras leituras que se antecipavam e muitas delas nem valeram assim tanto a pena e este livro não merece esperar para ser lido.

Depois vieram esses curtos dias de agosto em que li desvairadamente e o Milkman de Anna Burns foi, felizmente, na voragem.

O mais marcante neste livro é o facto de não haver nomes, na verdade, não há grandes referências em que escorar a nossa leitura. E elas não são necessárias. As que existem, "a religião deles", a "nossa religião"; "o país deles", "o nosso país", entre outras, permitem-nos situar-nos talvez numa Irlanda fraturada pelos conflitos civis e religiosos. O facto de nem os lugares nem as pessoas terem nomes torna a ambiência do livro mais abstrata, mas também mais universal e é essa universalidade conseguida que faz desta leitura simultanemente localizada e datada, mas também atemporal, quase uma distopia.

Essa feição distópica faz deste romance de Anna Burns um relato profundamente atual, não há como não estabelecer um paraleo com a forma como as versões a preto e branco da realidade nos vão sendo impostos, como todas as discussões são extremadas e radicalizadas, como o não estares de acordo comigo significa que tens de ser conotado com determinada fação, ou partido, ou visão, ou sim, ou não. Quando a realidade é caleidoscópica, complexa, caótica. Quando as coisas mudam a um ritmo alucinante, quando as verdades são desmentidas pelos factos quase de minuto a minuto, quando as certezas são abaladas. Há depois a denúncia do impacto e da força que as "versões" das histórias têm sobre as vidas das pessoas, condenando-as a um silêncio, porque uma versão estabelecida não pode nunca ser desmentida e o mal causado nunca mais pode ser reparado e... ninguém se importa com isso.

Outro aspeto singular neste livro, que não é propriamente único, mas resulta muito bem, é o facto de a narrativa estar filtrada pelo longo discurso/fluxo de consciência da jovem que a protagoniza, o que o torna mais ingénuo, porque há um véu de incompreensão comum a quem se encontra no centro dos acontecimentos, mas que torna mais óbvia para o leitor a crueldade que se abate sobre a personagem e que só com o recurso a esta estratégia narrativa emerge do relato como neblina sobre a superfície da água.

É uma leitura desafiante - não digo difícil para não afastar ninguém deste obra: genial, única, crua e importante, muito importante.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub