Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Livros para adiar o fim do mundo

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Livros para adiar o fim do mundo

24
Set20

#31/2020 - O Mar, Jonh Banville

livrosparaadiarofimdomundo

Wook.pt - O Mar

Sextante Editora

198 páginas

Imagine-se o cenário: uma praia do sudoeste alentejano, uma manhã de nevoeiro, sem vento, a temperatura amena, a praia semideserta, uma cadeira com encosto reclinável e um livro na mão. É o paraíso na terra.

Foi neste cenário que abri e encetei a leitura do romance de John Banville e, acredite-se ou não, a página de abertura do romance atira-nos para um cenário muito semelhante. A ação passa-se num local de férias, de veraneio, há areais, o mar encrespado, cabelos molhados brincadeiras, piqueniques e uma tensão atmosférica que se vai adensando. 

"Foi no dia da estranha maré que os deuses partiram. Durante toda a manhã, sob um céu turvo e opaco, as águas da baía foram engrossando, atingindo alturas jamais vistas. As pequenas vagas insinuavam-se pela areia crestada que anos a fio apenas a chuva humedecera e lambiam a base das dunas." É esta a abertura do romance e há, em minha opinião, aqui um leitmotiv que ilumina a sua construção, toda ela ligada a um exercício de memória que, tal como a maré, engorssa, invade, alastra e submerge. O passado que inunda o presente. A rememoração como experiência renovada, mas de cariz interpretativo. De facto, Max, a personagem principal, refugia-se na pequena localidade onde costumava passar as férias quando jovem por causa da morte da sua mulher. Mas a memória, além de lhe trazer os momentos vividos com ela, um amor de toda a vida, devolve-lhe ainda um verão marcado pela iniciação ao amor, mas também à perda, ao risco, à morte.

Alguns dos livros que li ultimamente tiveram em comum o facto de abordarem a superação de uma perda que a morte originou. Este inclui-se aí. O viúvo Max, atingido por essa dor, recorda em simultâneo a alteração drástica da sua vida a partir do momento em que a Anna, sua mulher, é diagnosticada uma doença terminal e a experiência que, da mesma forma, alterou para sempre a sua existência, mas ligada à recordação de um verão marcado por uma série de descobertas, entre elas a pulsão amorosa e também a perda. E os dois momentos do seu percurso entrelaçam-se, cruzam-se, alternam-se com uma maestria que só uma autor sensível, experiente e inteligente o conseguiria: "O passado pulsa dentro de mim como um segundo coração".

Este livro de Banville é uma experiência literária extraordinária, pela forma contida como é narrado, mas conseguindo um condensação de uma certa atmosfera trágica que nos remete para a grandeza dos clássicos. A linguagem é uma dimensão importantíssima para a fruição estética desta obra, mas sem ofuscar o resto, notando-se neste narrador o comprazimento que a forma de dizer exata lhe provoca. Há essa capacidade extraordinária de nos oferecer um relato intimista e reflexivo que confere ao ritmo narrativo a desorganização do fluxo da memória e a reorganização das experiências que só assim se conseguem. Ler este livro é uma forma de viver a arte que poucas vezes nos é possível.

... o sol declina, afinal tinha conseguido romper as nuvens e brilhou impiedosamente sobre os veraneantes. A praia volta a esvaziar-se, já se retiraram as crianças e as suas risadas estridentes, o mar aquieta-se num espelho dourado. Fecha-se o livro. Regressa-se de outras paragens onde os dias de verão nunca têm esta luz de "brancuras quentes". Um suspiro solta-se. Um dia perfeito.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub