Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros para adiar o fim do mundo

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Livros para adiar o fim do mundo

28
Out20

#35/2020 - Manual para mulheres de limpeza, Lucia Berlin - uma descoberta maravilhada

livrosparaadiarofimdomundo

Wook.pt - Manual para Mulheres de Limpeza

Editora Alfaguara

526 páginas

 

Depois de ler este livro, o primeiro que li desta autora, o comentário que me ocorre desde logo é: como é que só li Lucia Berlin tão tarde na minha vida? Sim, foi uma descoberta cheia de maravilhamento. A escrita de Berlin é única, surpreendente na sua força e no fascínio que exerce sobre nós.

Mas recuemos um pouco, antes de ler é importante conhecer alguns aspetos da vida da escritora que, mercê das muitas voltas que deu, lhe ofereceu experiências muito diferentes, o conhecimento de muitas formas de vida, as múltiplas profissões que exerceu, os altos e baixos de uma existência que ela soube verter em apontamentos autobiográficos nos seus contos, os filhos, os casamentos, a família, a mãe, a irmã. No entanto, tudo é sublimado numa moldura literária que poucos conseguem. Há que dizê-lo: Lucia Berlin é uma escritora magnífica. Que me desculpem os apreciadores de fenómenos como Elena Ferrante, mas Lucia Berlin é literatura no seu melhor, é arte. 

Assim que comecei a ler o livro, fiquei rendida ao ritmo narrativo. A forma magistral como se vai doseando o conhecimento desta galeria de figuras entre o trágico e o cómico, com predominância do trágico - porque, na verdade, a vida é muito mais trágica do que cómica- prende-nos logo. É daqueles livros difíceis de largar, em que damos por nós a pensar "só mais uma página" e foram cinquenta. Há depois um pormenor que explica um bocadinho esta imersão que nos leva a ir cada vez mais fundo nesta leitura: é o facto de muitos contos começarem in media res, isto é, como se entrássemos numa sala e escutássemos uma conversa que estava a decorrer e que nos chama a atenção e ficamos a ouvir, esquecidos do que se passa à nossa volta.

O texto da contracapa refere reverência por parte de críticos e leitores por todo o mundo, pois bem, serei mais um deles. Essa reverência nasce também da crueza com que as histórias são narradas: as drogas, o alcoolismo, os abortos, a fronteira entre os EUA e o México, o glamour de Santiago do Chile, as famílias disfuncionais, o ódio e o amor, o perdão, o regresso, a morte, a promessa da morte, o anseio pela morte, o amor, o desamor, a ilusão e o engano, filhos que morrem por os amarmos demais. 

Parece que o reconhecimento de Lucia Berlin chegou mais tarde à vida dela do que a sua escrita à minha. É sempre pena. Seria muito bom que o reconhecimento chegasse tão cedo quanto se merece. No entanto, devemos sempre ficar gratos a quem oferece aos outros vislumbres do Belo, e é isso que acontece neste volume de Lucia Berlin. Todas as histórias são únicas, embora algumas delas se completem, ou nos ofereçam outra perspetiva.

Recomendo vivamente este livro e sinto uma espécie de ternura fora do tempo que gostaria muito que Lucia soubesse que sinto, ela é tão desmedidamente humana, ela é tanto de tantos de nós, ela é a queda e a redenção. Apetece dizer, gosto de ti Lucia Berlin, admiro a tua humanidade e revejo-me nela e comigo tantas pessoas a quem dás rosto e emprestas o palco para que contemplemos a diversidade da vida.

2 comentários

  • Foi sempre assim que entendi este blog, um espaço para trocarmos impressões. Registei a sua sugestão. Como costumo dizer, tão curta a vida para tano livro a ler. Obrigada por ter passado por cá.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2017
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2016
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2015
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2014
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub