Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros para adiar o fim do mundo

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Livros para adiar o fim do mundo

18
Fev14

365 dias depois (IV)

livrosparaadiarofimdomundo
            Descemos uma rua estreita e muitoinclinada que termina numa praia. Sinto vividamente os movimentos do autocarro,quase travo ao mesmo tempo que o motorista. O meu corpo inclina-se para afrente por causa da travagem progressiva. O volante é rodado em movimentosamplos e bem desenhados, prende depois de ter completado a rotação. O homem queo conduz também inclina o seu corpo. Somos uma nova espécie de árvores e outrosos ventos que nos vergam. Aperto uma mão na outra e todo o meu corpo se retesade tensão. Estou perto. Há trezentos e sessenta e cinco dias atrás, fiz estemesmo percurso. A memória é tão forte e tão clara que confundo os tempos e ohoje é o ontem. Toda a cena é uma repetição em câmara lenta. Posso viver deolhos fechados a partir daqui, sei exatamente os tempos, o cronograma, tenhoquase os passos contados. O autocarro faz uma curva muito apertada para entrarna garagem do fim da linha, eis o ligeiro sobressalto e o rangido das molas dasuspensão quando transpõe o limite dos portões que encerram a garagem. Entra-mepelas narinas o cheiro acre e enjoativo a gasóleo que paira no ar e que nadaparece poder retirar das garagens. Em criança, este cheiro era o suficientepara me fazer vomitar. Mais uma curva ampla, primeiro para a direita e depoispara a esquerda, linha oito. Um grande relógio de parede, redondo e brancomarca dezoito horas e quinze minutos. Há uma diferença de alguns minutos emrelação ao dia do passado. Uma sacudidela breve e súbita indica que parámos. Aspessoas à minha volta levantam-se com lentidão. Retiram volumes, alongamdiscretamente o corpo, soltam-se alguns risos, há conversas abafados que nãocompreendo, enquanto outras são terminadas à pressa e numa oitava mais alta doque deviam. Também eu retiro o meu saco. Penduro-o no ombro. Encaminho-me paraa saída, desço os degraus e o cheiro é mais forte, quase insuportável. Saiodali mesmo para a rua. Está vento e os cheiros iodados do mar chegam até mim. Sorvo-oscom gratidão, enquanto inclino a cabeça para tirar o cabelo dos olhos. Afasto-merapidamente, viro à direita no fim da rua e sigo por um passeio largo que correperpendicular ao mar.

            É quase o fim do dia de praia. Háimensa gente nas ruas, um vozear contínuo rodeia-me. As pessoas com que mecruzo obrigam-me a reduzir o meu passo. Sem que dê conta, aquele bulícioestival interfere comigo e caminho com um ligeiro sorriso nos lábios, quaseesquecida de mim e do que aqui me trouxe. Não faz mal, tudo estará no sítiocerto assim que for preciso e eu também estarei a horas no meu encontro comigomesmo. Por agora, posso deixar-me ir. Paira ainda no ar um cheiro que semprerelacionei com o do creme Nívea que usava em criança. As peles queimadas do solfazem os olhos dos outros mais brilhantes, toda a gente parece tão feliz, tãoacompanhada, tão cheia de vida, o que me impressiona. Pequenas lojas deartesanato oferecem imagens deste lugar em diferentes suportes, nas toalhas debanho, nas toalhas de mesa, nas camisolas, nas canecas, nas bases de copo: umalíngua de mar muito extensa, um areal vasto, ondas perfeitas e ao fundo umpromontório que entra pelo mar adentro quase a perder de vista, um cabo,finisterra. O cabo do fim. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub