Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Livros para adiar o fim do mundo

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Um cantinho para "falar" de livros, para trocar ideias, para descobrir o próximo livro a ler.

Livros para adiar o fim do mundo

06
Jan20

A Boneca de Kokoschka, de Afonso Cruz

A imaginação criativa

livrosparaadiarofimdomundo

Wook.pt - A Boneca de Kokoschka

Afonso Cruz é um dos meus escritores favoritos. Os seus livros são sempre imaginativos, poéticos, como na pintura de Chagal, há como que uma quebra das leis da matéria. Essa dimensão quase onírica da sua escrita deixa-me sempre de sorriso na cara a cada pagina que leio. Cada vez que termino um dos seus livros, fico com a sensação de que fiz algo que valeu a pena. Estes textos valorizam-nos, porque nos aproximam mais da essência da humanidade. Além disso, a ação dos seus romances surge muitas vezes deslocada no tempo e no espaço, emoldurada por um traço de exotismo que parece herdeiro do realismo mágico dos sul-americanos, como Gabriel Garcia Márquez

Boneca de Kokoschka não é exceção. Partindo de uma relação improvável entre um vendedor de pássaros e uma criança que foge de um atirador nazi em Dresden, vindo a refugir-se na cave da loja de Bonifaz Vogel, com ele comunicando através das tábuas do soalho, sem que a Vogel lhe ocorra que há corpo de onde parte a voz que escuta. O espaço da ação é, assim, a cidade bombardeada de Dresden, mas este período de guerra, apesar de "os vivos ficarem cada vez mais mortos" , é pintado com as cores da poesia, através do olhar inocente de Vogel, o que me fez lembrar um pouco o filme A vida é bela. De facto, mesmo no meio do horror, a vida pode ser bela, se houver homens e mulheres belos que não se deixam contaminar por aquilo que os rodeia. 

Mas, como sempre, a ação evolui de forma supreendente, num espiral de acontecimentos que se vão relacionando, ainda que a descoberta desses nexos não deixe de ser surpreendente e de deixar o leitor boquiaberto, desenhando o mesmo O que a boca de Vogel desenha permanentemente no seu rosto. As páginas do romance estão pontuados com desenhos de Afonso Cruz, remetendo um pouco para as páginas de O Principezinho de Exupéry. 

O título do romance remete para uma narrativa encaixada na narrativa principal. No entanto, este encaixe não é deixado ao acaso. Está graficamente demarcado, tem direito a capa, a editora, a autor, a numeração de capítulos. é uma história de amor, de ação, de roubo, de infelicidade, de felicidade.

As metáforas estão por todo o livro: as gaiolas, as bombas, o coxear de Isaac Dresdner, a música. Servem para abrir a nossa mente, para aprendermos a deslocar o nosso olhar, para aprendermos a ver mais com o coração e menos como os olhos. Servem a Educação Visual, sobretudo a que se dirige à forma como descobrimos o outro.

Não faltam ao romance os ingredientes das grandes narrativas de ação: o amor, a traição, as famílias, a morte, a guerra, o sonho, a demanda, a descoberta, mas a linguagem em que a ação vem "embrulhada" é que é verdadeiramente singular e surpreendente, com passagens tão belas como "Um pessimista é um acorde menor". Para mim, é pela linguagem que "frequento" Afonso Cruz, embora o desenrolar da intriga seja igualmente cativante.

Visitem este livro, deixem que a boa literatura vos disponha bem, que estas palavras assim conjugadas vos levem a acreditar no género humano de forma teimosamente otimista. Cultivemos, através das histórias, a persistência do enelevo, da ternura, do sonho, do amor. Depois deste livro, olharemos o mundo com benevolência... ainda que os noticiários não deixem a ilusão durar muito, mas há livros assim, que adiam o fim do mundo, nem que seja durante o tempo que dura a sua leitura.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub